Anetodermia

anetodermia

Anetodermia (do grego anetos, frouxo) é condição benigna, com alteração focal do tecido elástico dérmico resultando em áreas localizadas de pele flácida, herniária e de aspecto pseudotumoral.

Etiologia

A etiologia da doença permanece desconhecida, admitindo-se as seguintes possibilidades: causas genéticas (formas familiares), mecanismos autoimunes  (lúpus, esclerodermia), infecciosos (acrodermatite crônica atrofiante associada à borreliose, sífilis, varicela, tuberculose), defeito na síntese das fibras elásticas (penicilamina inibindo a lisiloxidase) e elastofagocitose.

Sinônimos

1- anetodermia idiopática de Schweninger- Buzzi, em que não há processo inflamatório prévio.

2- anetodermia de Jadassohn, que é precedida por processo inflamatório com eritema e tem como localizações preferenciais o tronco e raiz de membros.

3- anetodermia de Pellizari, cujas placas urticadas prévias involuem deixando cicatrizes atróficas extensas, principalmente na face e no pescoço, com aspecto de calazodermia.

4- anetodermias secundárias são mais freqüentes e associadas a sífilis, tuberculose, xantomatoses cutâneas, micose fungóide, linfomas de células T da pele, varicela, lúpus, hanseníase, síndrome de anticorpo antifosfolípides, sarcoidose, infecção pelo HIV, hipotireoidismo, borreliose, granuloma anular e uso de penicilamina.

5- atrofia macular hereditária, doença rara, familiar, que evolui com cicatrizes anetodérmicas com hipocromia brilhante e atrofia superficial.

Referências

  • Coelho WS, Gurtler TGR, Diniz LM, Souza Filho JB. Caso para diagnóstico. Anetodermia. An Bras Dermatol. 2008;83(6):578-80.
<< Retornar