Condrodermatite Nodular da Hélice

É um processo inflamatório das partes moles da orelha. É absolutamente característica pela localização, aspecto e pelo fato de ser dolorosa a ponto de interferir no sono, com predomínio em adultos do sexo masculino de idade superior a 40 anos. Vários fatores parecem atuar na patogenia: trauma (mecânico e ambiental), idade (perda de elasticidade, afinamento da pele, cartilagem e alterações vasculares e do tecido conjuntivo) e, por último, a pouca vascularização típica da região. A lesão apresenta crescimento rápido até alcançar seu tamanho máximo, que varia de 0,5 a 2 cm de diâmetro. Em geral, é única, de aspecto cupuliforme, com crosta central que recobre pequena cratera e pequeno halo eritematoso. A localização preferencial é o ápex da orelha e é mais frequente na orelha direita; ocorre também na anti‐hélix. Raramente é bilateral.

Histopatologia

Encontra‐se acantose com paraceratose nas bordas do pertuito, pelo qual é eliminado material dérmico degenerado e necrótico (eliminação transepitelial). Na vizinhança, observa‐se tecido de granulação com neoproliferação vascular.

Clínica – Se apresenta como cor da pele para papulonódulos eritematosos, em forma de cúpula com crostas centrais ou crateras cheia de queratina. Pode-se observar a presença de inflamação circundante. A maioria das lesões ocorre na rima da hélice superior ou na rima da anti-hélice média a inferior. As lesões da CNH são frequentemente moles à palpação e dormir sobre elas pode ser impossível

Referências Bibliográficas

  • Tratado de Dermatologia – 3º Edição – Jean Bolognia,Julie V. Schaffer,Joseph L. Jorizzo
  • Dermatologia – 6ª Ed. 2013 – Rubem David Azulay