Doença do Soro

doença do soro

A doença do soro é uma reação sistêmica que ocorre após a administração de soro heterólogo, habitualmente de origem animal. Consiste numa reação de hipersensibilidade do tipo III, mediada por imunocomplexos que se depositam na parede de pequenos vasos, levando à ativação do sistema do complemento, com a consequente libertação de mediadores inflamatórios e lesão tecidual. Clinicamente caracteriza-se por febre, lesões cutâneas, artralgias/artrite, linfadenopatia, especialmente em local de drenagem da injeção, nefrite com albuminúria e hematúria e, mais raramente, hepatoesplenomegalia. O prognóstico é favorável, com evolução para a cura, sem sequelas, em dias a semanas.

Observa-se na pele com frequência:

  • erupção urticarial ou exantema morbiliforme fixo (isto é, não migratório)
  • erupção cutânea serpiginosa nas bordas laterais das mãos e dos pés, é um achado clássico no exame físico .

Referências

  • Barreira, Patrícia, & Gomes, Eva. (2013). Doença do soro-like associada à administração de fármacos em idade pediátrica. Revista Portuguesa de Imunoalergologia21(4), 267-275.