Eritema Migratório Necrolítico

eritema necrolitico

O eritema migratório necrolítico (NME) é frequentemente associado à síndrome do glucagonoma e consiste na tríade: NME, intolerância à glicose e hiperglucagonemia, cujos níveis de glucagon estão acima de 1000 pg/mL são altamente sugestivos de glucagonoma.  A NME é mais comum em mulheres após os 45 anos de idade. O reconhecimento dessa dermatose pode levar ao diagnóstico precoce com potencial de cura da neoplasia, já que a ENM pode ser sua primeira manifestação.

Manifestações clínicas:

Inicialmente, observa-se uma erupção maculopapular rosada com bordas irregulares e um padrão padrão arqueado ou policíclico, proeminente em áreas de trauma, afetando frequentemente os joelhos e áreas intertriginosas.  Algumas vezes há formação de bolhas flácidas que se rompem com facilidade formando crostas, enquanto novas vesículas continuam a se desenvolver ao longo das bordas. A NME é freqüentemente complicada pela infecção por Candida albicans ou Staphylococcus aureus. É por isso que alguns pacientes são diagnosticados erroneamente como portadores de candidíase crônica.  Esses pacientes frequentemente relatam tratamento prévio com antibióticos e agentes antifúngicos sem melhora antes que um diagnóstico conclusivo seja alcançado.  Pressão ou trauma podem iniciar ou agravar as lesões, que podem apresentar padrão semelhante ao da síndrome da pele escaldada estafilocócica. As lesões podem ser pruriginosas e dolorosas e estão associadas a glossite, queilite angular, anemia normocítica, perda de peso, diabetes, dor abdominal, dispepsia, diarreia, trombose venosa, alopecia, esteatorréia e sintomas neuropsiquiátricos. Existe um alto risco de tromboembolismo, que ocorre em cerca de 24% dos pacientes.

Referências

  • Silva, Josenilson Antônio da, Mesquita, Kleyton de Carvalho, Igreja, Ana Carolina de Souza Machado, Lucas, Isabella Cristina Rodrigues Naves, Freitas, Aline Ferreira, Oliveira, Sandra Maximiano de, Costa, Izelda Maria Carvalho, & Campbell, Iphis Tenfuss. (2013). Paraneoplastic cutaneous manifestations: concepts and updates*. Anais Brasileiros de Dermatologia