Fenômeno de Lúcio (eritema necrosante)

fenomeno de lucio

A hanseníase é uma doença infecciosa crônica causada pelo bacilo ácido-resistente Mycobacterium leprae, transmitida por inalação após a exposição de uma pessoa com uma infecção baciliforme não tratada, geralmente durante o contato íntimo e prolongado. Dependendo da imunidade do paciente, a infecção pode se desenvolver em direção à recuperação ou às formas clínicas da doença: indeterminada, tuberculóide, dimórfica ou lepromatosa, cada uma podendo cursar com episódios de inflamação aguda denominados “estados reacionais”. As reações do tipo 1 são mediadas pela imunidade celular e neurite clinicamente presente ou reação reversa. As do tipo 2 envolvem a produção de imunocomplexos e citocinas, como o fator de necrose tumoral alfa, e incluem eritema nodoso hansênico, eritema multiforme, fenômeno da hanseníase de Lúcio e neurite.

O fenômeno da hanseníase de Lúcio foi descrito por Lucio e Alvarado em 1852 no México, e assim chamado em 1948 por Latapi e Zamora. Ele representa uma variante da reação lepromatosa tipo 2 e histopatologicamente é caracterizado por vasculite necrótica aguda, sendo sinônimo da expressão ” eritema necrosante “. Isso pode ocorrer na lepra de Lúcio (onde a forma lepromatosa pura) e em outras formas de lepra lepromatosa.

Referências

  • Helmer, Karin Adriane, Fleischfresser, Isabela, Kucharski-Esmanhoto, Luciana D., Fillus Neto, José, & Santamaria, Jesus Rodriguez. (2004). The Lucio’s phenomenon (necrotizing erythema) in pregnancy. Anais Brasileiros de Dermatologia79(2), 205-210.