Reticulóide Actínico

reticuloide actinico

Fotodermatite de idosos, descrita primeiramente em 1969, na Grã-Bretanha, caracterizada clinicamente por extrema fotossensibilidade a um amplo espectro de radiações e histológicamente por infiltrado linfomatóide.

Clinicamente, apresenta-se com eritema, edema e espessamento da pele de área fotoexpostas, como face, pescoço, mão e, ocasionalmente, de áreas cobertas, podendo coexistir prurido. O quadro é recalcitrante e costuma piorar no verão, podendo raramente evoluir para eritrodermia.

reticuloide actinico é considerado uma dermatite persistente ou uma erupção pseudolinfomatosa que afeta predominantemente áreas fotoexpostas por doses eritematosas mínimas de sol. Podemos dizer que, tanto o reticuloide actinico,  como a reação persistente à luz, o eczema fotossensível e a dermatite de fotossensibilidade crônica são reunidas hoje como uma patologia única: dermatite actínica crônica.

Referências

  • Applgate, L.A.; Frenk, E.; Gibbs, N.; et al: Cellular sensitivity to oxidative stress in the photosensitivity dermatitis/actinic reticuloid syndrome. J. Invest. Dermatol. 102(5); 762-7, 1994.
  • CHRISTOPHER, Brunnet:Chronic actinic dermatitis (persistent light reaction, actinic reticuloid, photosensitivity dermatitis, photosensitive eczema, photosensitivity and actinic reticuloid (PD/AR) syndrome).