Síndrome de Wells (celulite eosinofílica)

sindrome de wells

A Síndrome de Wells, também conhecida como celulite eosinofílica, é uma patologia cutânea incomum, cuja aparência, por vezes, mimetiza urticária ou celulite infecciosa. Em adultos, não tem predileção por sexo, porém na infância é mais frequente em meninos. É um estado cutâneo reacional a diversos estímulos, sendo considerada uma reação de hipersensibilidade inespecífica, com provável base autoimune.

Caracteriza-se mais comumente pelo aparecimento recorrente de placas eritematosas, mal definidas, únicas ou múltiplas, que podem persistir durante semanas a meses, por vezes com remissão espontânea e sem lesão residual. Vesículas, bolhas e lesões urticariformes também podem ser encontradas, bem como diferentes tonalidades (violácea, azulada ou acinzentada). Cerca de metade dos doentes apresenta eosinofilia periférica. Em algumas ocasiões, pode-se associar prurido e até mesmo manifestações sistêmicas, como febre e poliartralgia. Sua etiologia frequentemente é desconhecida, mas pode ser desencadeada por neoplasias, retocolite ulcerativa, infecções bacterianas, viroses, picada de inseto, micoses, parasitoses e medicamentos.

Referências

  • Camila Machado Zompero, Wellington Batista Vasques, Alessandra Rodrigues Catharino, Bernard Kawa Kac, Eduardo Mastrangelo Marinho Falcão. Wells syndrome: a reactional dermatosis. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 57 (3): 219-221, jul.-set. 2013.