Tubercúlide Papulonecrótica

tuberculide papulonecrotica

É uma erupção cutânea por hipersensibilidade a um foco subjacente de tuberculose. A erupção mais comumente observada é de pápulas necróticas agrupadas. É crônica, recorrente e assimétrica. No início, as lesões são pápulas eritematosas assintomáticas. Então, ocorre necrose central da lesão que produz uma úlcera coberta por crosta. À medida que a lesão cicatriza, permanece uma cicatriz atrófica ligeiramente pigmentada. As extremidades são freqüentemente afetadas.
Em pacientes com tubercúlide papulonecrótica, geralmente, há uma fonte latente de tuberculose em órgãos internos ou nos gânglios linfáticos. As lesões são devidas à disseminação hematogênica do microrganismo. Em 30% a 40% dos casos, o foco primário é a tuberculose extracutânea. Os focos mais frequentes são os linfonodos. Embora, a maioria dos casos seja devida à infecção por M. tuberculosis, também pode ocorrer após a vacinação com BCG.
O teste tuberculínico (PPD) em geral é positivo. A tuberculose papulonecrótica ocorre pela liberação de mediadores imunológicos contra um foco interno de tuberculose em pacientes com imunidade moderada ou alta. A coloração e cultura das lesões dérmicas não mostram bacilos. Entretanto, o DNA micobacteriano foi identificado em até 80% das biópsias de pele de pacientes com tubercúlide papulonecrótica.

Referências

  • Akkurt, Z. Meltem, Uçmak, Derya, Fidan, Veysi, Türkcü, Gül, & Kelekçi, Selvi. (2013). Tubercúlide papulonecrótica: Caso clínico. Archivos argentinos de pediatría111(1), e5-e7.