Tuberculose Primária Cutânea (Cancro)

tuberculose cancro

É uma forma rara de tuberculose, também denominada cancro primário da inoculação da tuberculose, pois se desenvolve em indivíduos não previamente sensibilizados à micobactéria, ocorrendo mais frequentemente em crianças em áreas endêmicas de baixa cobertura vacinal.

O cancro da tuberculose se desenvolve pela inoculação direta do Mtb na pele após um trauma local, muitas vezes despercebido pelo paciente. Há relatos de lesões que se desenvolvem após procedimentos cirúrgicos realizados com materiais não esterilizados e mesmo depois de tatuagens. Após 2 a 4 semanas, surge uma pápula ou nódulo firme, indolor, marrom-avermelhada, de crescimento lento, que pode evoluir para úlcera. A úlcera é friável, tem tendência a sangramento e uma base com superfície granular grosseira.

As lesões medem geralmente 1 cm ou menos com a face e as extremidades sendo os locais mais frequentemente envolvidos. Ocasionalmente, o resultado do crescimento da lesão é uma placa verrucosa, ou mesmo lesões que se assemelham a scrofuloderma ou lúpus vulgar. Após 3 a 8 semanas do início do cancro da tuberculose, freqüentemente há disseminação bacilar para linfonodos, análoga ao que acontece nos pulmões com o complexo de Gohn. A linfadenopatia regional é evidente e, ocasionalmente, o comprometimento linfonodal resulta em ruptura pele.

A evolução do cancro é variável e a cicatrização pode ocorrer entre três e 12 meses, deixando cicatrizes atróficas e calcificações nos linfonodos regionais. No entanto, se os medicamentos antituberculose não forem implementados, há risco potencial de desenvolvimento de complicações, como lúpus vulgar, escrofulodermia ou disseminação (TB aguda miliar).

Referências

  • Santos, Josemir Belo dos, Figueiredo, Ana Roberta, Ferraz, Cláudia Elise, Oliveira, Márcia Helena de, Silva, Perla Gomes da, & Medeiros, Vanessa Lucília Silveira de. (2014). Cutaneous tuberculosis: epidemiologic, etiopathogenic and clinical aspects – Part I. Anais Brasileiros de Dermatologia89(2), 219-228.