É a queratinização prematura de células individuais dentro da epiderme e estruturas epiteliais de anexos. As células disqueratóticas possuem núcleos picnóticos e citoplasma eosinofílico. Estas células prematuramente queratinizadas são encontradas em doenças inflamatórias, como na doença de Grover e no estágio verrucoso da incontinência pigmentar; em doenças neoplásicas como doença de Bowen e queratoacantoma subungueal; em genodermatoses como a doença de Darier; e em condições císticas como no Disqueratoma verrucoso. Em todos os casos, a disqueratose é uma expressão inesperada do início, mas lento, da morte de queratinócitos. Os queratinócitos que morrem rapidamente não têm tempo de queratinizar, fato demonstrado pela presença de uma configuração normal em rede de basquet no estrato córneo, acima dos queratinócitos necróticos (eritema multiforme e erupção fixa de drogas e nos processos em que ocorre necrose ainda mais rápida e difusa, por exemplo, queimaduras de todos os tipos). Os queratinócitos que morrem lentamente são anormalmente queratinizados, portanto, o estrato córneo acima deles é paraqueratótico ou ortoqueratótico compacto (doença de Bowen e líquen plano).